Ibaneis quer concessão do Metrô-DF no início de 2021

Midia-728x90
Midia-320x90
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em almoço com lideranças empresariais da capital o governador Ibaneis Rocha (MDB), fez balanço do segundo ano de sua gestão.

As concessões da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô – DF) e da Rodoviária do Plano Piloto estão entre os projetos citados pelo governador.

“Não se trata só da CEB (Companhia Energética de Brasília). Nós temos que conceder, também, o nosso Metrô, a concessão está prevista para o início do próximo ano. O Metrô do Distrito Federal consome em torno de R$ 900 milhões por ano dos cofres do DF. Isso é a complementação da tarifa. Ele precisa, hoje, de um investimento de R$ 2,5 bilhões para troca dos carros, melhorias e nova energização das linhas. O Distrito Federal não tem esse dinheiro, não vai ter esse dinheiro. O Governo Federal não tem esse dinheiro, não vai emprestar para o Distrito Federal. Então, nós temos que conceder isso para o privado de modo que a gente possa ter a modernização”, justificou.

A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) realizou audiência para discutir a transferência de gestão do Metrô-DF por 30 anos. A expectativa do Governo do DistriTo Federal (GDF) é de que a licitação ocorra no próximo ano. Com a iniciativa, o Executivo local espera reduzir os custos com o transporte e economizar R$ 175 milhões anuais.

Outra concessão prioritária, a da Rodoviária, está em fase de consulta pública. O projeto prevê um contrato de 20 anos, com investimento de R$ 190,6 milhões em obras que deverão priorizar a melhoria da mobilidade de passageiros e veículos na rodoviária, por meio da adequação do modelo operacional do terminal

A rodoviária tem que ser concedida. O privado tem que entrar ali, o privado tem que operar, transformando aquilo num grande centro de movimentação de pessoas. Nós temos que resolver os problemas, e a parceria público-privada (PPP) é o melhor caminho para isso, como é, também, a concessão dos estacionamentos públicos”, defendeu.

Com informações do DF Mobilidade

Leia também:

Comentários: